JESUS CRISTO, O FILHO DE DEUS

Em toda nossa caminhada devemos ter sempre Cristo como nosso guia. Ele nos guarda a cada dia. "Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois a ele eternamente. Amém." Sejam bem vindos ao nosso blog em o nome do Senhor Jesus !!! Disse Jesus: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve. Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. Amo ao Senhor Jesus Cristo, porque Ele me amou primeiro e trouxe-me para a sua maravilhosa presença. Deus é tremendo !!!

domingo, 31 de maio de 2015

VENCEDORES

Percebe-se nos dias atuais, que um grande número de pessoas andam de um lado para o outro, sem que haja uma solução para seus problemas e dificuldades, e com isso muitos se frustam e desanimam na caminhada.
Há uma saída para todos que pela fé em Jesus Cristo, o buscam de todo o coração e esperam somente em Deus para solucionar seus problemas.
Jesus Cristo é a solução para todos nossos problemas.  Ele venceu o mundo, e pela fé nEle também podemos vencer, quando confiamos e nos entregamos inteiramente a nossa vida em suas mãos.
A palavra de Deus nos informa que um número grande de pessoas na antiguidade, passaram pelas mesmas dificuldades, embora em contextos diferentes do nosso, mas eles também experimentaram das muitas aflições que envolvem o ser humano.
O mesmo Deus que ajudou seus servos e servas no passado, continua com as mãos estendidas para abençoar a todos que nele se achegam.
Servos e servas do Senhor, por crerem em Jesus, conseguiram superar seus problemas, porque confiaram no Todo Poderoso, o Deus que tudo pode, e assim foram vitoriosos, recebendo a vitória que vem da parte de Deus Pai todo Poderoso, em nome de Jesus.
Assim como Deus operou no passado, Ele continua abençoando o seu povo, pois Ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente, e continua fazendo maravilhas no meio do seu povo.
A nossa fé precisa estar alicerçada na pessoa bendita de Jesus Cristo, que um dia se fez homem e habitou entre nós, morreu em uma cruz, levando os nossos pecados sob o madeiro.  Ele morreu, mas ao terceiro dia ressuscitou e está assentado a direita de Deus Pai.
Jesus Cristo, o Filho amado de Deus, nos garantiu a vitória, e hoje ele está intercedendo por todos nós.  O sangue derramado por nós na cruz do calvário, no purifica de todo pecado e nos dá ousadia para entrar no santo dos santos.
Creia amigo e amiga, Jesus Cristo é a solução.  Ele é o caminho, a verdade e a vida, e jamais chegaremos a Deus por outro caminho.
Jesus Cristo  nos deu a certeza que um dia, se formos fiéis iremos morar com Ele para sempre.
Problema algum ou qual seja a dificuldade, jamais poderá impedir o homem e a mulher de ter uma íntima comunhão com o Filho Unigênito de Deus Pai.
Jesus Cristo convida a todos, para que cheguem mais perto dEle, e creiam a cada dia, no sacrifício vicário, que Ele efetuou na cruz e que é no nome dEle que todos os cristãos genuínos herdarão a promessa de um dia  morarmos para sempre no céu.
Deposite a tua confiança em Jesus Cristo, e ele te ajudará a vencer e te dará a certeza que Nele você é mais do que vencedor.

Edilberto Pereira

A BÍBLIA E JESUS

A Bíblia e Jesus !                                     


1. Em Gênesis Jesus é: O nosso Criador (Gn 1) e A Semente da mulher. (3:15)
2. Em Êxodo Jesus é: O Cordeiro pascoal. (12:5,6)
3. Em Levítico Jesus é: O Sacrifício expiatório. (1:3a6)
4. Em Números Jesus é: A Rocha ferida. (20:11)
5. Em Deuteronômio Jesus é: O Grande Profeta de Deus. (18:15)
6. Em Josué Jesus é: O Príncipe do exército do Senhor. (5:14,15)
7. Em Juizes Jesus é: O Nosso Libertador. (2:16)
8. Em Rute Jesus é: O Nosso Parente. (2:1;3:2)
9. Em I Samuel Jesus é: A nossa vitória. (17:47)
10. Em II Samuel Jesus é: O descendente de Davi. (7:11,12,13)
11. Em I Reis Jesus é: O doador da Sabedoria. (3:12;4:29)
12. Em II Reis Jesus é: O Reis dos Reis. (11:9,21)
13. Em I Crônicas Jesus é: O Rei de Deus. (29:23,32)
14. Em II Crônicas Jesus é: O que faz aliança. (7:14)
15. Em Esdras Jesus é: O nosso auxilio, Senhor dos céus e da terra. (1:2)
16. Em Neemias Jesus é: O nosso ajudador (1:11)
17. Em Éster Jesus é: O nosso Mardoqueu, sofredor. (3:5,6)
18. Em Jó Jesus é: O nosso Redentor vivo. (19:25)
19. Em Salmos Jesus é: O guarda de Israel. (121:4)
20. Em Provérbios Jesus é: A sabedoria de Deus. (8:12,22,35)
21. Em Eclesiastes Jesus é: O alvo verdadeiro. (12:1)
22. Em Cantares Jesus é: O amado. (2:16)
23. Em Isaías Jesus é: O profeta sofredor. (53:2,3,4)
24. Em Jeremias Jesus é: A nossa justiça. (33:16)
25. Em Lamentações Jesus é: O varão de Deus. (1:2 ; 3:1)
26. Em Ezequiel Jesus é: O pregador mal recebido. (1:1a3,27)
27. Em Daniel Jesus é: O Rei Eterno. (2:24 ; 7:14)
28. Em Oséias Jesus é: O que liga as feridas. (14:4)
29. Em Joel Jesus é: O que habita em Sião. (3:17)
30. Em Amós Jesus é: O teu Deus ò Israel. (4:12)
31. Em Obadias Jesus é: O Senhor no seu Reino. (1:21)
32. Em Jonas Jesus é: O profeta ressuscitado. (1:17 ; 2:6)
33. Em Miquéias Jesus é: O nascido em Belém. (5:2)
34. Em Naum Jesus é: O que leva as boas novas. (1:15)
35. Em Habacuque Jesus é: O Senhor no Seu Santo Templo. (2:20)
36. Em Sofonias Jesus é: O Senhor que está no meio de ti. (3:17)
37. Em Ageu Jesus é: O Desejado de todas as Nações. (2:7)
38. Em Zacarias Jesus é: O Preço do Cordeiro. (11:12)
39. Em Malaquias Jesus é: O Sol da Justiça. (4:2)
40. Em Mateus Jesus é: O Rei Messias. (2:2)
41. Em Marcos Jesus é: O Servo de Deus. (1:11)
42. Em Lucas Jesus é: O Filho do homem. (19:10)
43. Em João Jesus é: O Filho de Deus. (19:7)
44. Em Atos Jesus é: O doador do Espírito Santo. (1:8)
45. Em Romanos Jesus é: Aquele que nos torna justo aos olhos da lei. (8:1a4)
46. Em I Corintios Jesus é: As primícias dos que dormem. (15:20)
47. Em II Corintios Jesus é: A graça de Deus. (12:9)
48. Em Gálatas Jesus é: O verdadeiro evangelho. (1:11,12)
49. Em Efésios Jesus é: Toda Armadura de Deus. (6:10,11)
50. Em Felipenses Jesus é: O que supre as necessidades. (4:13)
51. Em Colossences Jesus é: O cabeça da Igreja. (1:18 ; 2:19)
52. Em I Tessalonicenses Jesus é: O vingador de todas as coisas. (4:6)
53. Em II Tessalonicenses Jesus é: O fiel protetor. (3:3)
54. Em I Timóteo Jesus é: O único mediador Entre Deus e os homens. (2:5)
55. Em II Timóteo Jesus é: O Senhor e Justo Juiz. (4:8)
56. Em Tito Jesus é: A graça Salvadora de Todos os homens. (2:11)
57. Em Filemon Jesus é: O Senhor que intercede por nós. (1:10)
58. Em Hebreus Jesus é: O Autor e consumador da fé. (12:2)
59. Em Tiago Jesus é: O dom perfeito vindo de Deus. (1:17)
60. Em I Pedro Jesus é: A pedra principal. (2:7)
61. Em II Pedro Jesus é: O Senhor e Salvador que nos concede a entrada no seu reino. (1:11)
62. Em I João Jesus é: Aquele que se manifestou para desfazer as obras do diabo. (3:8)
63. Em II João Jesus é: A fonte da verdadeira doutrina. (1:9)
64. Em III João Jesus é: O nome que garante a vitória. (1:7)
65. Em Judas Jesus é: O único Soberano e Senhor. (1:4)
66. Em Apocalipse Jesus é: O Rei dos Reis E Senhor dos Senhores Senhores. (19)

Fonte :  Universidade da Bíblia

sexta-feira, 29 de maio de 2015

PERGUNTA E RESPOSTA SOBRE DANIEL 11:37

Daniel 11,37 diz que o anti-cristo será homossexual?

Pergunta de Geremias Fernandes Dias, Petrópolis
Resposta de Luiz da Rosa, em 19/08/2012






Leia mais sobre Homossexualidade
Pra responder a sua questão, começamos vendo algumas traduções desse versículo.
Bíblia Almeida: Não terá respeito aos deuses de seus pais, nem ao desejo de mulheres, nem a qualquer deus, porque sobre tudo se engrandecerá.
Bíblia de Jerusalém: Sem consideração para com os deuses de seus pais, sem consideração para com o favorito das mulheres ou para com qualquer outro deus, é oa si mesmo que ele exaltará acima de tudo.
Nova Tradução na Linguagem de Hoje: Esse rei não adorará os deuses que os seus antepassados adoravam, nem os deuses que as mulheres preferem, nem qualquer outro deus, pois ele acreditará que está acima de todos os deuses.
Hebraico (tradução literal): E quanto aos deuses dos avós dele não considera e quanto ao desejo das mulheres não considera e quanto a todos os deuses não considera porque pretenderá ser grande sobre todos.

Nada a ver com homossexualismo, mas possível referência ao Messias
A problema na sua pergunta é representado pelo que traduzi acima (na tradução literal) por "desejo das mulheres" ( נשים המדת / hemdat nashim). A referencia, nas traduções apresentadas acima, está marcada com uma cor diversa. Prefiro a Nova Tradução na Linguagem de Hoje.
Em hebraico "hemdat nashim" é uma forma gramatical conhecida como "estado de construção", que é o método em hebraico da combinação de dois  substantivos, de forma que um substantivo descreve o outro. 
Quem vê nesse versículo uma ligação com o homessexualismo, pretende ler que o o rei grego Antíoco, a quem se refere o versículo, não se interessava pelo desejo sexual da mulher. ou seja, não interessava ter relações com as mulheres. Essa é uma interpretação muito machista, pois resume o desejo das mulheres em sexo. Além disso, o contexto, que fala claramente de idolatria, não dá nenhum respaldo a essa interpretação. Do meu ponto de vista, há duas possibilidades de leitura defendidas por alguns exegetas, que podem indicar a direção correta.
1. Havia um deus grego chamado Adonis, que era tido como "o desejo das mulhres" (deus da beleza e do desejo). Se essa hipótese for aplicada ao texto, o significado é que Antíoco não só não quer saber dos deuses dos seus pais, mas também ignora os deuses gregos ou qualquer outro deus, pois ele mesmo se considera um deus.
2. Outra interpretação, mais 'espiritual', vê como desejo das mulheres de israel ser a mãe do Messias. Essa hipótese, aplicada ao texto, enfatizaria o rejeito por parte de Antíoco, da fé do povo de Israel, que esperava o Messias.

Uso impróprio das palavras bíblicas
Corremos um risco muito grande de tomar certas passagens da bíblia para sublinhar e confirmar discriminações que nascem na nossa sociedade. Foi assim, por exemplo, que nasceu entre os cristãos um preconceito muito grande contra os judeus, que culminou no genocídio realizado durante a II Guerra Mundial. Não devemos usar a Bíblia para desmoralizar as pessoas. Sem dúvida ela nos dá regras morais, mas o dom mais profundo, revelado pela Palavra de Deus, é que cada um é livre de dispor da própria vida como lhe convém.
Fonte: abiblia.org


Outras traduções :

Bíblia Sagrada - Edição Trilíngue - Nova versão internacional 2000 :  Ele não terá consideração pelos deuses dos seus antepassados nem pelo Deus preferido das mulheres, nem por Deus algum, mas se exaltará acima deles todos.

Bíblia de Estudo NTLH 2008 - Esse rei não adorará os deuses que os seus antepassdos adoravam, nem os deuses que as mulheres preferem, nem qualquer outro deus, pois ele acreditará que está acima de todos os deuses.

Edição contemporânea de Almeida 1990 por Editora Vida, 1999 1ª impressão - Não terá respeito aos deuses de seus pais, nem terá respeito pelo desejado das mulheres, nem a qualquer deus, porque sobre tudo se engrandecerá.

Bíblia Sagrada - João Ferreira de Almeida - Edição Revista e Corrigida - Revisão 1997
1ª Edição - Geográfica editora - Santo André - SP - 2011 - E não terá respeito aos deuses de seus pais, nem terá respeito ao amor de mulheres, nem a qualquer deus, porque sobre tudo se engrandecerá.  Provavelmente essa tradução, é a usada pelos defensores da ideia de ser o antiCristo um homossexual. (grifo nosso).

Edições Católicas:

Bíblia Sagrada Ave Maria 206ª Edição : Não respeitará nem os deuses de seus antepassados, nem a deusa querida das mulheres, nem divindade alguma; ele se julgará superior a todos.

Tradução da CNBB 15ª Reedição - Não respeitará nem o deus de seus pais, nem o deus favorito das mulheres, nem qualquer outro deus, pois pretenderá ser maior que todos eles.

Fonte :  Bíblia Sagrada -  Edições Católicas e Protestantes.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

PESOS E MEDIDAS

1 - PESOS

NOME       CORRESPONDENTE BÍBLICO EQUIVALENTE ATUAL
Gera       1/10 do beca ou 1/20 do siclo 0,571 g
Beca       10 geras ou 1/2 do ciclo 5,712 g
Siclo       20 geras ou 2 becas 11,424 g
Mina* ou arrátel**       50 siclos 571,2 g
Talento***       3000 siclos ou 60 minas 34,272 Kg

* A mina em Ezequiel 45.12 é igual a 60 siclos e equivale a 685,44 g.
** O nome arrátel também é usado para libra romana (Jo 12.3, 19.39) que equivale a 325 g.
*** O Talento em Apocalipse 16.21 equivale a 40 Kg.
_____________________________________________________________________________________

2 - DINHEIRO

2.1 - Antigo Testamento
a) O siclo, a mina e o talento eram peças ou barras de metal(prata, ouro) usadas como meio de pagamento;
b) Como moeda aparece o darico, também traduzido por dracma, uma moeda de ouro que pesava 8,4 g;
c) A peça de dinheiro ou quesita é de valor ignorado.

2.2 - Novo Testamento
Lepto     Moeda de cobre ou de bronze
Quadrante     Moeda romana de cobre
Asse     Moeda romana de cobre
Denário     Moeda romana de prata (salário de um dia de trabalho)
Dracma     Moeda grega de prata (igual 1 denário)
Didracma     Moeda grega de prata (2 dracmas ou 2 denários)
Tetradracma     Moeda grega de prata (4 dracmas ou 4 denários)
Estáter     Moeda grega de prata (2 didracmas ou 4 denários)
Mina     Moeda grega de ouro (100 denários)
Talento     Prata ou ouro (6.000 denários)
____________________________________________________________________________________

3 - MEDIDAS DE DISTÂNCIA
Tiro de pedra     20 a 30 m
Tiro de arco     100 a 150 m
Jornada de um sábado     888 m
Jornada de um dia     30 a 40 Km
Estádio (romano)     185 m
Milha (romana)     1.479 m
____________________________________________________________________________________

4 - MEDIDAS DE COMPRIMENTO
Dedo     1,8 cm
Quatro dedos*     7,4 cm
Palmo**     22,2 cm
Côvado***     44,4 cm
Braça     1,80 m

* Quatro dedos é a medida da palma da mão na base dos quatro dedos.
** Palmo é a distância entre a ponta dos dedos extremos com a mão espalmada.
***Côvado é a distância entre o cotovelo e a ponta do dedo médio. O côvado em Ezequiel 43.13 equivale a 51,8 cm, pois soma um côvado mais quatro dedos.
      Em consequência, a cana (Ez 41.8) equivale a 3,11 m, pois é igual a seis côvados de Ezequiel.
____________________________________________________________________________________

5 - MEDIDAS DE TEMPO
Hora     1/12 do Dia e 1/12 da Noite; a extensão da hora variava de acordo com a estação do ano.
    As horas do Dia eram contadas a partir do nascer do sol e as da Noite, a partir do pôr-do-sol.
Vigília     Os israelitas dividiam a Noite em 3 vigílias, sendo cada uma de 4 horas.
    Os romanso dividiam em 4 vigílias de 3 horas cada.
Noite     12 horas, do por-do-sol até o seu nascer.
Dia     12 horas, do nascer ao por-do-sol; 24 horas, de um por-do-sol até outro.
Semana     7 dias, terminando com o sábado.
Mês     29 a 30 dias, iniciando com a lua nova.
Ano     12 meses lunares (354 dias). De 3 em 3 anos acrescentava-se um mês (pela repetição do último mês) para tirar a diferença entre os 12 meses lunares e o ano solar.
____________________________________________________________________________________

6 - MEDIDA DE ÁREA
Jeira     Área que uma junta de bois pode arar em um dia, mais ou menos um quarteirão quadrado com 50m  de lado, o que equivale a 2.500 metros quadrados.

Fonte :  Dicionário Bíblico Ebenezer -  Universidade da Bíblia.

JUDAÍSMO

FUNDADOR:
Abraão (Gn 12.1-3), cerca de 2000 a.C. no Oriente Médio. Existem três ramos principais do Judaísmo: ortodoxo, conservador e reformado, cada um com suas crenças.

ESCRITURAS:
O Tanach (Antigo Testamento), especialmente a Toráh (primeiros cinco livros do Antigo Testamento). O Talmude
(explicação do Tanach). As Escrituras dos sábios, tais como, Maimónides, Rashi etc.

DEUS:
Deus é Espírito. Para os judeus ortodoxos, Deus é pessoal, Todo Poderoso, Eterno, Misericordioso. Para outros judeus,
Deus é impessoal, incognoscível e definido de muitas maneiras. Não há Trindade.

JESUS:
Jesus é visto como um falso messias extremista ou como um bom rabi (mestre), que foi martirizado. Muitos judeus desconsideram Jesus. Os judeus (exceto os judeus messiânicos) não crêem que ele foi o Messias, o Filho de Deus que ressuscitou dentre os mortos. Os judeus ortodoxos crêem que o Messias vai restaurar o reino judaico e governará finalmente o mundo.

ESPÍRITO SANTO:
Alguns judeus crêem que o Espírito Santo é um outro nome para a atividade de Deus na terra. Outros dizem que é o amor de Deus.

SALVAÇÃO:
Alguns judeus crêem que a oração, o arrependimento e obediência a Lei são necessários para salvação. Outros crêem quea salvação seja o aperfeiçoamento da sociedade.

MORTE:
Haverá ressurreição física. Os obedientes viverão para sempre com Deus e os injustos sofrerão. Alguns judeus não crêem em vida consciente após a morte.

OUTRAS CARACTERÍSTICAS:
Reúnem-se nas sinagogas no sábado. Praticam a circuncisão. Vários dias santos e festivos, incluindo a Páscoa, Sukot, Janucá, Rosh Roshaná, Yom Kippur, Purim. Jerusalém é considerada a cidade santa.


Fonte :  Dicionário Bíblico Ebenezer -  Universidade da Bíblia .

CRISTIANISMO

FUNDADOR:
Jesus Cristo. Fundado por volta dos anos 30-33 d.C na Judéia, região da Palestina (atual Israel).


ESCRITURAS:

A Bíblia escrita originalmente em hebraico e aramaico (Antigo Testamento) e grego (Novo Testamento).


DEUS:

O Deus Único é Trino (Um Deus em três Pessoas, não três deuses): Pai, Filho e Espírito Santo. Freqüentemente o título Deus indica a primeira pessoa, Deus Pai. Deus é um Ser Espiritual sem corpo físico. Ele é pessoal e está envolvido com a humanidade. Criou o universo do nada. É eterno, nunca muda. É santo, amoroso e perfeito.


JESUS:

Jesus é Deus, a segunda pessoa da Trindade. Ele sempre existiu como Deus Filho e não foi criado. É plenamente Deus e plenamente Homem (duas Naturezas Unidas e não Amalgamadas). Como segunda pessoa da Trindade, é igual a Deus Pai e Deus Espírito Santo. Para se tornar humano, foi gerado pelo Espírito Santo e nasceu da virgem Maria. Jesus é o Único caminho para ir ao Pai, a Salvação e a Vida eterna. Ele morreu numa cruz, de acordo com o plano de Deus, como um Sacrifício Completo e expiou os nossos pecados. Ressuscitou dentre os mortos três dias após sua morte, fisicamente imortal. Durante os 40 dias seguintes foi visto por mais de 500 testemunhas oculares. Suas feridas foram tocadas e ele comeu diante dos discípulos. Ascendeu fisicamente aos céus. Jesus regressará outra vez, visivelmente e fisicamente, no fim dos tempos para estabelecer o Reino de Deus e julgar o mundo.


ESPÍRITO SANTO:

O Espírito Santo é Deus, a terceira Pessoa da Trindade. O Espírito Santo é uma pessoa, não uma força ou um campo de energia. Ele consola, repreende, convence, guia, ensina e se entristece. Ele não é o Pai, nem o Filho, Jesus Cristo.


SALVAÇÃO:

A Salvação é obtida pela Graça de Deus e não pelas obras.A Salvação é recebida pela Fé. Basta crer no coração que Jesus morreu por nossos pecados e ressuscitou fisicamente, dentre os mortos. Teremos, então, assegurados o perdão e a ressurreição do nosso corpo. Este é o Plano Amoroso de Deus para perdoar os pecadores.


MORTE:

Depois da morte, todas as pessoas esperam o Juízo Final. As pessoas salvas e as perdidas ressuscitarão. Os salvos viverão com Jesus nos céus. Os perdidos, porém, sofrerão o tormento (inferno), a separação eterna de Deus. A ressurreição corporal de Jesus garante aos crentes que eles também terão corpos imortais.


OUTRAS CARACTERÍSTICAS:

A adoração em grupo, usualmente praticada nas igrejas. Não há cerimônias secretas. O batismo e a Ceia do Senhor (comunhão). Trabalho missionário voluntário. Ajuda aos necessitados: pobres, viúvas, órfãos e oprimidos. Os cristãos crêem que Jesus é o Messias Judeu prometido a Israel no Antigo Testamento. Jesus disse que os seus seguidores seriam conhecidos pelo amor fraternal.

Fonte :  Diciionário Bíblico Ebenezer - Universidade da Bíblia .

domingo, 24 de maio de 2015

TODA DOENÇA É FRUTO DE PECADO COMETIDO ?

Toda doença é fruto de pecado cometido?


Inúmeras vezes, dentro da vida cristã, os professos e seguidores do verdadeiro e único Deus, sofrem dificuldades financeiras e doenças físicas, bem como emocionais e espirituais - muitíssimos homens e mulheres passam por isso. Para ser ainda mais exato, todos já passaram, passam e irão passar por tais situações.

A Bíblia nos diz que a queda dos primeiros pais foi a razão pela qual o mundo sofre o que vemos e experimentamos em nossas vidas. Não tivesse havido, estaríamos naquele mesmo belo, formoso e agradável jardim, desfrutando constantemente da presença magistral do Senhor, tal qual Adão e Eva usufruíam (Gn 3.8).

 O Senhor nos ensina, através do apóstolo, que "todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus" (Rm 3.23). Em Adão, todos os homens e mulheres estavam inclusos, de maneira que ninguém pode se escusar do pecado, exceto pelo novo Adão, Cristo Jesus: "O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante" (1Co 15.45).

Isso significa dizer que, embora os cristãos tenham sido regenerados pelo sangue de Cristo (Ef 1.7), ainda carregam os efeitos do pecado. Paulo expressou esta angústia: "Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?" (Rm 7.24). Ele reconhecia, por meio do Espírito Santo, que era um santo, isto é, separado para o Senhor; no entanto, era cônscio das mazelas ainda atuantes em sua vida: "Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado" (Rm 7.25). O apóstolo tinha ciência de ter sido salvo e que seria sustentado até o fim de sua vida, pois "aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo" (Fp 1.6), entretanto, jamais afirmou que os santos deixam de pecar enquanto nesta vida estão. 

Noutras palavras, o cristão não mais peca (1Jo 3.6), porque o pecado lhe foi extirpado e a morte já não tem mais poder sobre os Seus (1Co 15.55), assim com não é mais escravo dele, mas ainda comete pecados, conforme lemos: "nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo" (Rm 8.23).

Sintetizando, na teologia se diz que os cristãos vivem entre o  e o ainda não. Quer dizer, os cristãos já foram libertos da escravidão do pecado, mas ainda não foram libertos completamente, pois passam por dificuldades sem par; já estão com Cristo nos céus (Cl 3.1; Rm 8.30), mas ainda não experimentam essa plenitude, devendo completar a carreira da fé (2Tm 4.7).

O que isso tem a ver com o propósito deste artigo? A verdade é que para entendermos a Escritura, precisamos dos pressupostos corretos. Uma vez estabelecido que o cristão ainda comete pecados (tal qual os não cristãos, diferindo que entre os crentes os pecados estão perdoados, ao passo que os ímpios estão sob a ira de Deus - Sl 7.11-3; Ef 5.6), podemos analisar que relação há entre doença e pecado. Por doença, entenda o leitor toda dificuldade passada pelos cristãos, incluindo as finanças, o corpo físico, as emoções...

Muitos versículos poderiam ser postados para serem analisados, todavia, nos limitaremos a três exemplos de cada Testamento.

Antigo Testamento

Todo cristão genuíno reconhece o Antigo Testamento como vera palavra de Deus (2Tm 3.16-17). Existem, então, alguns versículos que demonstram a relação entre doença e pecado.

- Jó

"Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; e era este homem íntegro, reto e temente a Deus e desviava-se do mal" (Jó 1.1). O exemplo do nobre Jó é por demais valioso, pois nos ensina que nem sempre as doenças e dificuldades são uma retribuição da parte de Deus, devido a algum pecado cometido (embora todos sejam pecadores). Lemos que Jó sequer pecou depois de perder todos os seus bens, bem como seus filhos. Em verdade, a atitude de Jó foi ímpar: "Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o Senhor o deu, e o Senhor o tomou: bendito seja o nome do Senhor" (Jó 1.21) e "Em tudo isto Jó não pecou, nem atribuiu a Deus falta alguma" (Jó 1.22). Jó reconheceu que todas as coisas que havia recebido foram vindas do Senhor. Nada que ele possuía havia sido adquirido por mérito próprio. Tudo fora graciosamente dado pelo Senhor.

Neste primeiro exemplo, aprendemos que as doenças não possuem, necessariamente, condenação por causa de algum pecado cometido.

- Coré e os seus

"E a terra abriu a sua boca, e os tragou com Coré, quando morreu aquele grupo; quando o fogo consumiu duzentos e cinqüenta homens, os quais serviram de advertência. Mas os filhos de Coré não morreram" (Nm 26.10-11).

O Senhor demonstra o que ocorreu a Coré e todo o seu grupo devido à desobediência ao Senhor. No capítulo 16 é narrado que Coré e mais "duzentos e cinqüenta homens dos filhos de Israel, príncipes da congregação" (Nm 16.2), se indignaram com o fato de somente alguns homens escolhidos poderem oferecer incenso ao Senhor (v.3). A penalidade para tal atitude foi a morte para todos eles. Todos aqueles homens morreram devido ao seu pecado. A morte dos tais, nos diz a palavra, serviu "de advertência".

Mas há um fato diverso, neste ponto: "Mas os filhos de Coré não morreram". Por algum motivo soberano e imperscrutável, o Senhor não se agradou de matar os filhos daquele rebelde.

Neste segundo exemplo, aprendemos que a desobediência ao Senhor tem graves consequências para os que a cometem e não se arrependem, não havendo, porém, necessária condenação sobre sua descendência.

- Jeorão e o povo

"E, subindo Jeorão ao reino de seu pai, e havendo-se fortificado, matou a todos os seus irmãos à espada, como também a alguns dos príncipes de Israel [...] E andou no caminho dos reis de Israel, como fazia a casa de Acabe; porque tinha a filha de Acabe por mulher; e fazia o que era mau aos olhos do Senhor [...] Então lhe veio um escrito da parte de Elias, o profeta, que dizia: [...] Eis que o Senhor ferirá com um grande flagelo ao teu povo, aos teus filhos, às tuas mulheres e a todas as tuas fazendas. Tu também terás grande enfermidade por causa de uma doença em tuas entranhas, até que elas saiam, de dia em dia, por causa do mal [...] E depois de tudo isto o Senhor o feriu nas suas entranhas com uma enfermidade incurável. E sucedeu que, depois de muito tempo, ao fim de dois anos, saíram-lhe as entranhas por causa da doença; e morreu daquela grave enfermidade" (2Cr 21.4, 6, 12, 14-15, 18-19).

Jeorão foi um rei terrível e maligno. Ele "fazia o que era mau aos olhos do Senhor". Aquele homem, em vez de andar nos caminhos do Senhor, preferiu andar no "no caminho dos reis de Israel". Ele, sendo rei de Judá, a tribo na qual nasceria o Salvador (Mt 2.6), não viveu de acordo com a sã doutrina. Pecou gravemente contra o Senhor e teve sua sentença: doenças e morte.

Vemos, também, que não somente Jeorão foi afligido com a doença, mas, sim, conforme diz o Senhor, "ferirá com um grande flagelo ao teu povo, aos teus filhos, às tuas mulheres e a todas as tuas fazendas". Toda a comunidade de Judá foi prejudicada pelo terrível seguimento de Jeorão - até suas fazendas (animais, agricultura) sofreram perdas incontáveis.

Aprendemos, então, que a doença pode também ser fruto da desobediência, alcançando, inclusive, aqueles que estão sob domínio daquele que pecou e instigou ao pecado, pois os tais não se desviaram do mal.

Novo Testamento

- O homem cego

"E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus" (Jo 9.1-3).

Aquele homem jazia às margens da sociedade, sendo por ela desprezado. A Bíblia nos diz que era cego de nascença. Ao olharem para ele, conhecendo o Antigo Testamento, os apóstolos inquirem o Mestre sobre quem havia pecado, pois pensavam que toda doença tinha relação com algum pecado específico. Cristo, porém, lhes afirma que a doença não era vinda de algum pecado (embora todos pequem) e, por isso, resultado do mesmo, senão "para que se manifestem nele as obras de Deus".

Aprendemos que nem toda doença é para morte. Assim como Jó, que após sofrer nas mãos de Deus, disse, "Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te vêem os meus olhos" (Jó 42.5), também este homem havia sido criado cego por Deus, a fim de Seu nome ser glorificado.

- Ananias e Safira

"Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, e retivesses parte do preço da herdade? [...] E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E um grande temor veio sobre todos os que isto ouviram [...] E, passando um espaço quase de três horas, entrou também sua mulher, não sabendo o que havia acontecido [...] Então Pedro lhe disse: Por que é que entre vós vos concertastes para tentar o Espírito do Senhor? Eis aí à porta os pés dos que sepultaram o teu marido, e também te levarão a ti. E logo caiu aos seus pés, e expirou. E, entrando os moços, acharam-na morta, e a sepultaram junto de seu marido. E houve um grande temor em toda a igreja, e em todos os que ouviram estas coisas" (At 5.3, 5, 7, 9-11).

O caso de Ananias e Safira é um dos mais conhecidos e assustadores exemplos de morte que temos sob o Novo Testamento. Este casal, no intento de reter para si uma parte do dinheiro que obtiveram com a venda de uma propriedade, mentiu ao Espírito Santo, tentando enganar os apóstolos do Senhor. Tentaram ao Senhor com mentiras diabólicas e ouviram o decreto: morte instantânea.

Aprendemos que o Senhor pode e tem poder para tanto, porque é Deus e soberano, retirar a vida de qualquer homem ou mulher. O Eterno e Onipotente já havia declarado: "Há tempo de nascer, e tempo de morrer" (Ec 3.2). Por causa de desobediência, Ananias e Safira viram a morte.

- A ceia do Senhor

"Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice. Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor. Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem" (1Co 11.28-30).

Esta passagem deveria aterrorizar todos os profanos e falsos seguidores do evangelho. A Escritura deixa evidente que se pode ser participante de uma igreja, ser membro da mesma, frequentar as atividades e ir assiduamente ao culto, participando, inclusive, da ceia do Senhor - entretanto, recebendo a condenação de morte, por blasfemar sobre o sacrifício vicário de Cristo, fazendo ignomínia de Sua morte.

Aprendemos o fato do Senhor punir até mesmo pessoas dentro da igreja, por não O tratarem com a devida seriedade, santidade, justiça e verdade que são devidas.

Resumindo

Para que o leitor possa ser devidamente edificado, eis o resumo, lembrando, sempre, que nada acontece alheia à vontade do Senhor (Lc 21.18).

1. Há doenças que não são vindas por causa do pecado. Para estas, o Senhor fornece Sua promessa: "O Senhor o sustentará no leito da enfermidade; tu o restaurarás da sua cama de doença" (Sl 41.3).

2. Há doenças que são vindas por causa do pecado e devem ser recebidas graciosamente por nós: "Porque o Senhor corrige o que ama, E açoita a qualquer que recebe por filho" (Hb 12.6). A razão para ele corrigir Seus filhos é porque os ama - "O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama, desde cedo o castiga" (Pv 13.24).

3. Há doenças que são vindas por causa do pecado, mas que não são acompanhadas de arrependimento. Tais doenças são para extirpar o pecado do meio de Sua Igreja e sociedade: "Quando no meio de ti, em alguma das tuas portas que te dá o Senhor teu Deus, se achar algum homem ou mulher que fizer mal aos olhos do Senhor teu Deus, transgredindo a sua aliança. Que se for, e servir a outros deuses, e se encurvar a eles ou ao sol, ou à lua, ou a todo o exército do céu, o que eu não ordenei [...] As mãos das testemunhas serão primeiro contra ele, para matá-lo; e depois as mãos de todo o povo; assim tirarás o mal do meio de ti" (Dt 17.2-3, 7).

Cristo vos abençoe.



Minha foto
Blumenau, Santa Catarina, Brazil

DOENÇAS E ENFERMIDADES

 


 QUAL A DIFERENÇA ENTRE ENFERMIDADE E DOENÇA?

Percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades entre o povo. Mateus 4.23-25


Doença - do latim dolentia de dolens = dor, portanto indica perturbação em que há dor, corresponde à palavra grega algos, algema que nos legou algia = dor

Enfermidade - do latim infirmita, infirmitatis (de infirmus) que significa fraqueza, debilidade. Incapacidade de realizar algo de habitual devido a uma deficiência; corresponde no grego a astheneia = astenia, que designa mais propriamente fraqueza muscular

Então, doente é o que sente dor, o que sofre, o que padece; enfermo é o que está debilitado, enfraquecido pela doença.
 
CRENTE FICA DOENTE?
Por: Augustos Nicodemus Lopes
 
Creio em milagres. Creio que Deus cura hoje em resposta às orações de seu povo. Durante meu ministério pastoral, tenho orado por pessoas doentes que ficaram boas. Contudo, apesar de todas as orações, pedidos e súplicas que os crentes fazem a Deus quando ficam doentes, é um fato inegável que muitos continuam doentes e eventualmente, chegam a morrer acometidos de doenças e males terminais.

Uma breve consulta feita à Capelania Hospitalar de grandes hospitais de algumas capitais do nosso país revela que há números elevados de evangélicos hospitalizados por todos os tipos de doença que acometem as pessoas em geral. A proporção de evangélicos nos hospitais acompanha a proporção de evangélicos no país. As doenças não fazem distinção religiosa.

Para muitos evangélicos, os crentes só adoecem e não são curados porque lhes falta fé em Deus. Todavia, apesar do ensino popular que a fé nos cura de todas as enfermidades, os hospitais e clínicas especializadas estão cheias de evangélicos de todas as denominações – tradicionais, pentecostais e neopentecostais –, sofrendo dos mais diversos tipos de males. Será que poderemos dizer que todos eles – sem exceção – estão ali porque pecaram contra Deus, ficaram vulneráveis aos demônios e não têm fé suficiente para conseguir a cura?

É nesse ponto que muitos evangélicos que adoeceram, ou que têm parentes e amigos evangélicos que adoeceram, entram numa crise de fé. Muitos, decepcionados com a sua falta de melhora, ou com a morte de outros crentes fiéis, passam a não crer mais em nada e abandonam as suas igrejas e o próprio Evangelho. Outros permanecem, mas marcados pela dúvida e incerteza. Eu gostaria de mostrar nesse post, todavia, que mesmo homens de fé podem ficar doentes, conforme a Bíblia e a História nos ensinam.

1. Há diversos exemplos na Bíblia de homens de fé que adoeceram. Ao lermos a Bíblia como um todo, verificamos que homens de Deus, cheios de fé, ficaram doentes e até morreram dessas enfermidades. Um deles foi o próprio profeta Eliseu. A Bíblia diz que ele padeceu de uma enfermidade que finalmente o levou a morte: “Estando Eliseu padecendo da enfermidade de que havia de morrer” (2Re 13.14). Outro, foi Timóteo. Paulo recomendou-lhe um remédio caseiro por causa de problemas estomacais e enfermidades freqüentes: “Não continues a beber somente água; usa um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes enfermidades” (1Tm 5.23).Ao final do seu ministério, Paulo registra a doença de um amigo que ele mesmo não conseguiu curar: “Erasto ficou em Corinto. Quanto a Trófimo, deixei-o doente em Mileto” (2Tm 4.20).
O próprio Paulo padecia do que chamou de “espinho na carne”. Apesar de suas orações e súplicas, Deus não o atendeu, e o apóstolo continuou a padecer desse mal (2Co 12.7-9). Alguns acham que se tratava da mesma enfermidade da qual Paulo padeceu quanto esteve entre os Gálatas: “a minha enfermidade na carne vos foi uma tentação, contudo, não me revelastes desprezo nem desgosto” (Gl 4.14). Alguns acham que era uma doença nos olhos, pois logo em seguida Paulo diz: “dou testemunho de que, se possível fora, teríeis arrancado os próprios olhos para mos dar” (Gl 4.15). Também podemos mencionar Epafrodito, que ficou gravemente doente quando visitou o apóstolo Paulo: “[Epafrodito] estava angustiado porque ouvistes que adoeceu. Com efeito, adoeceu mortalmente; Deus, porém, se compadeceu dele e não somente dele, mas também de mim, para que eu não tivesse tristeza sobre tristeza” (Fp 2.26-27).
Temos ainda o caso de Jó, que mesmo sendo justo, fiel e temente a Deus, foi afligido durante vários meses por uma enfermidade, que a Bíblia descreve como sendo infligida por Satanás com permissão de Deus: “Então, saiu Satanás da presença do Senhor e feriu a Jó de tumores malignos, desde a planta do pé até ao alto da cabeça. Jó, sentado em cinza, tomou um caco para com ele raspar-se” (Jó 2.7-8). O grande servo de Deus, Isaque, sofria da vista quando envelheceu, a ponto de não saber distinguir entre Jacó e Esaú: “Tendo-se envelhecido Isaque e já não podendo ver, porque os olhos se lhe enfraqueciam” (Gn 27.1). Esses e outros exemplos poderiam ser citados para mostrar que homens de Deus, fiéis e santos, foram vitimados por doenças e enfermidades.

NOTÍCIAS SOBRE CRISTÃOS

Papa e premiê de Israel discordam sobre língua de Jesus


Jerusalém - O papa Francisco e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, discordaram nesta segunda-feira sobre a língua falada por Jesus dois milênios atrás.
"Jesus esteve aqui, nesta terra. Ele falava hebraico", disse Netanyahu ao papa, em um encontro público em Jerusalém no qual o primeiro-ministro citou uma forte conexão entre o judaísmo e o cristianismo. "Aramaico", interveio o papa.
"Ele falava aramaico, mas ele sabia hebraico", Netanyahu retrucou.
Assim como muitas outras questões no Oriente Médio, onde o papa está no último dia de uma visita de três dias, as referências a Jesus nos dias de hoje são complicadas e muitas vezes políticas.
Um judeu, Jesus nasceu em Belém, na região da Judeia -- à época dominada pelos romanos --, atual Cisjordânia, ocupada por Israel.
Ele cresceu em Nazaré e ministrava na Galileia, no norte de Israel, e morreu em Jerusalém, cidade reverenciada por judeus, cristãos e muçulmanos e reivindicada por israelenses e palestinos.
Os palestinos, às vezes, descrevem Jesus como um palestino, algo a que os israelenses se opõem.
O professor de linguística Ghil'ad Zuckermann disse à Reuters que tanto Netanyahu, filho de um renomado historiador judeu, quanto o papa, líder espiritual da comunidade de 1,2 bilhão de católicos no mundo, têm argumentos válidos.
"Jesus era um falante nativo do aramaico", disse sobre a língua semítica quase extinta que tem grande relação com o hebraico. "Mas ele também teria conhecido o hebraico porque havia escritos religiosos em hebraico."
Zuckermann afirmou que na época de Jesus, o hebraico era falado pelas classes mais baixas, "o tipo de pessoas a quem ele pregava".

Um terço das pessoas no mundo abraça o cristianismo, diz estudo



Uma em cada três pessoas no mundo pertence a uma religião cristã, informou nesta segunda-feira um estudo realizado pelo Centro Pew de Pesquisa dos Estados Unidos, o que corresponde a 2,18 bilhões de cristãos, ou 31,7% da população mundial, de 6,9 bilhões.
"Os cristãos também se expandiram do ponto de vista geográfico, estando tão distantes uns dos outros de fato que nenhum continente ou região pode presumir ser o centro do cristianismo mundial", anuunciou.
Assim como há um século, os cristãos representam uma proporção significativa da população mundial, mas enquanto, em 1910, dois terços estavam na Europa, atualmente estão espalhados mais amplamente em termos mundiais.
Quase 34% dos cristãos estão na América do Norte e do Sul; 26% na Europa, enquanto que 23,6% vivem na África subsaariana e 13,1% na região Ásia-Pacífico. Apenas 0,6% está no Oriente Médio e norte da África.
"O cristianismo de hoje - ao contrário de há um século - é realmente uma fé global", disse o Centro Pew no informe "Cristianismo global", produzido pelo Foro Pew sobre Religião e a Vida Pública.
A metade de todos os cristãos são católicos, enquanto 36,7% são protestantes e 11,9%, ortodoxos, segundo o estudo.
Estados Unidos, Brasil e México lideram a lista de nações. As conclusões do Centro Pew estão publicadas em seu site (www.pewforum.org), com uma análise país por país.
Papa defende em Israel livre acesso aos Locais Sagrados
papa Francisco solicitou nesta segunda-feira em Jerusalém o livre acesso aos Locais Sagrados para os fiéis das três grandes religiões monoteístas: judeus, muçulmanos e cristãos.
"Que belo que os peregrinos e os residentes possam comparecer livremente aos Locais Sagrados e participar nas celebrações", afirmou o papa durante a visita de cortesia ao presidente de Israel, Shimon Peres.
"Que Jerusalém seja verdadeiramente a cidade da paz. Que resplandeça plenamente sua identidade e seu caráter sagrado, seu valor universal religioso e cultural, como tesouro para toda a humanidade", clamou.
A Cidade Antiga de Jerusalém, que contém monumentos sagrados para as três grandes religiões, fica na parte que a ONU não reconhece dentro dos limites de Israel.

Cameron é criticado por afirmar que o Reino Unido é cristão


Londres - O primeiro-ministro britânico, David Cameron, foi acusado nesta segunda-feira de sectarismo por afirmar em sua mensagem de Páscoa que o Reino Unido é "um país cristão".
Os escritores Ken Follett, Philip Pullman e Terry Pratchett e os cientistas John Sulston e Harold Kroto - ambos vencedores do Nobel - são algumas das personalidades que assinaram uma carta publicada no jornal Daily Telegraph contra as declarações de Cameron.
O primeiro-ministro, anglicano, falou sobre religião em várias ocasiões nos últimos meses. Na semana passada, o conservador escreveu um artigo no qual pediu aos cristãos que façam mais proselitismo de sua fé.
Analistas acreditam que Cameron tenta reconstruir pontes com a Igreja, contrária a sua lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo e que critica reiteradamente as medidas de austeridade de seu governo.
"Algumas pessoas acreditam que nesta época tão laica não deveríamos falar destas coisas. Discordo totalmente", escreveu o chefe de Governo no jornal Church Times, uma publicação anglicana.
"Acredito que deveríamos ter mais confiança sobre nosso status como país cristão, mais ambição sobre aumentar o papel das organizações religiosas e, francamente, mais evangélicos sobre uma fé que nos pede que saiamos e façamos uma diferença na vida das pessoas".
A carta de resposta publicada no Daily Telegraph foi uma iniciativa da Associação Humanista.
O texto contesta a afirmação de Cameron de que o Reino Unido continua um país cristão.
"Repetidos informes, pesquisas e estudos mostram a maioria como indivíduos não cristãos", afirmam os signatários.
"Reivindicar constantemente o contrário estimula a alienação e a divisão em nossa sociedade", afirma a carta.
De acordo com o censo de 2011, 59,3% dos ingleses e galeses se identificaram como cristãos, contra 71,7% uma década antes.
Além disso, 25,1% afirmaram não ter religião, contra 14,8% em 2001.
Fonte:  Exame.com