JESUS CRISTO, O FILHO DE DEUS

Em toda nossa caminhada devemos ter sempre Cristo como nosso guia. Ele nos guarda a cada dia. "Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois a ele eternamente. Amém." Sejam bem vindos ao nosso blog em o nome do Senhor Jesus !!! Disse Jesus: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve. Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. Amo ao Senhor Jesus Cristo, porque Ele me amou primeiro e trouxe-me para a sua maravilhosa presença. Deus é tremendo !!!

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

CARTA PARA A IGREJA LAODICEIA (APOCALIPSE 3:14)

14 “Ao anjo da igeja de Laodicéia escreva o seguite: Esta é a mensagem do Amém, da Testemunha fiel e verdadeira, daquele por meio de quem Deus criou todas as coisas:”
Como podemos ver na última mensagem de Jesus para as principais congregações  na Ásia Menor, Jesus está sendo descrito em termos de algo verossímil  (Amém), mas também leal (fiel) e confiável (testemunha verdadeira). A última referência a Jesus Cristo sendo o princípio da criação de Deus é necessária para se referir ao conceito Judeu de Logos que está presente de forma dominante em João 1. Vamos resumir brevemente  os principais pontos que são importantes para nossa discussão aqui.
Tem sido pensado erroneamente que as ideias expressadas no prólogo de João são exclusivas do Cristianismo. Acreditava-se erroneamente que esta declaração (João 1:1) constituia nada menos do que um desvio inovador do Judaísmo. No entanto, nada poderia estar mais longe da verdade. Na verdade, não é até o versículo 14 “e o Verbo se fez carne,” que uma idéia inovadora, embora não contraditória ao Judaísmo, foi introduzida pela primeira vez. A idéia de Verbo/Logos/Memra de Deus sendo o instrumento de Deus na criação do mundo não era nova para o Judaísmo do Segundo Templo. Por exemplo, Filo, um Judeu de Alexandria, que era aproximadamente contemporâneo de Jesus, mas provavelmente nunca o conheceu, escreveu: “…a mais universal de todas as coisas é Deus; e em segundo lugar o Verbo de Deus”. (Allegorical Interpretation, II, 86); “…a sombra de Deus está o Seu Verbo, que Ele usou como um instrumento, quando Ele estava criando o mundo…” (Allegorical Interpretation, III, 96); “Este mesmo Verbo está continuamente suplicando ao Deus imortal em nome do povo mortal, que está exposto a aflição e a miséria; e é também o embaixador, enviado pelo governante de todos, ao povo subordinado… não tendo sido criado como Deus, nem ainda criado como você, mas estando no meio destas duas extremidades…” (“Quem é o Herdeiro das Coisas Divinas,” 205-6). Estes são apenas alguns exemplos dessa idéia.
Jesus, como ele se dirige a seus seguidores em Laodicéia, está  identificando a si mesmo como  o instrumento de Deus na criação do mundo.
Existem também algumas coisas importantes que devemos saber sobre a cidade de Laodicéia. É altamente provável que Jesus e o autor humano do Livro do Apocalipse estavam bem cientes delas.
map
Havia mais de uma cidade com o nome de Laodicéia no mundo Antigo, mas esta Laodicéia de Licos, localizada na Ásia Menor, foi fundada em cerca de 250 A.C. por Antíoco da Síria, em homenagem a sua esposa Laódice. Por causa de sua localização física, Laodicéia era uma cidade muito rica e importante na Ásia Menor. A estrada de Éfeso para o leste da Síria foi a estrada principal na Ásia e Laodicéia. Em seu caminho, há um desvio importante através do qual passava uma grande parte do tráfego comercial. Este fato efetivamente transformou a cidade em um provedor exclusivo de bens e serviços. Laodiceia originalmente foi construída como uma fortaleza, mesmo que ela tivesse uma deficiência significativa. Todo seu abastecimento de água tinha que vir por aqueduto subterrâneo de fontes localizadas a pelo menos 3 kms de distância. Isto não seria uma coisa boa para uma cidade sitiada por seus inimigos. Mas na época dos Romanos, a cidade prosperou devido a longa a paz estabelecida e preservada pelo Império Romano.

Diversas características da cidade de Laodicéia podem ser vistas através do discurso de Jesus à Congregação localizada lá. Primeiro, era um centro bancário e financeiro para a Ásia Menor. A riqueza da cidade pode ser vista em citações do historiador Romano Tácito: “Uma das mais famosas cidades da Ásia, Laodicéia, foi nesse mesmo ano, derrubada por um terremoto e sem qualquer ajuda nossa recuperou-se com recursos próprios”. (Tácito: Anais 14:27) Não é de se admirar que Laodicéia pudesse se gabar que era rica e tinha acumulado riquezas e não tinha necessidade de nada. Em segundo lugar, era um centro da indústria do vestuário. Ela produzia em massa casacos de lã a baixo custo. Em terceiro lugar, Laodicéia era um centro médico do mundo Antigo. Uma famosa escola de medicina estava localizada em Laodicéia. Os nomes de dois dos seus mais famosos médicos aparecem nas moedas de Laodicéia. Em particular, este estabelecimento médico foi famoso por produzir medicamento especial para os ouvidos e olhos. Por último, mas não menos importante, Laodicéia apresentava uma  população Judaica  desproporcionalmente grande. Em 62 A.C. Flaccus, o governador da província, ficou alarmado com a quantidade de dinheiro  que os Judeus mandavam para  pagar os impostos do  templo, que eram pagos por  todos os Judeus do sexo masculino. Ele impôs um embargo ao envio do dinheiro. Havia pelo menos 7.000 homens Judeus  residindo  na cidade relativamente pequena. Foram poucas as áreas onde os Judeus foram mais ricos e mais influentes.

Fonte:  Estudos judaicos para cristãos
Dr. Eli Lizorkin-Eyzenberg

Nenhum comentário:

Postar um comentário