JESUS CRISTO, O FILHO DE DEUS

Em toda nossa caminhada devemos ter sempre Cristo como nosso guia. Ele nos guarda a cada dia. "Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois a ele eternamente. Amém." Sejam bem vindos ao nosso blog em o nome do Senhor Jesus !!! Disse Jesus: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve. Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. Amo ao Senhor Jesus Cristo, porque Ele me amou primeiro e trouxe-me para a sua maravilhosa presença. Deus é tremendo !!!

terça-feira, 4 de abril de 2017

OS DONS ESPIRITUAIS - TEOLOGIA SISTEMÁTICA I

1 – INTRODUÇÃO

               Dons Espirituais são recursos indispensáveis para o Corpo de Cristo. Eles contribuem sobremaneira para a expansão e edificação da Igreja.
                Os dons Espirituais são dádivas de Deus à sua igreja. Dádivas do Pai (1Coríntios 12.6) E há diversidade de operações, mas é o mesmo DEUS que opera tudo em todos. Dádivas do Filho (1Coríntios 12.5) E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. Dádivas do Espírito Santo (1Coríntios 12.7) Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil.
                  Os dons espirituais são uma capacitação especial para o desempenho de um serviço ou ministério. Não há nenhum membro do corpo de Cristo sem dons e nenhum membro do corpo possui todos os dons. Portanto, o propósito dos dons, não é para a exaltação de quem o exerce, mas para o serviço aos demais membros do corpo e tudo para a glória de Deus.
             
        OS DONS ESPÍRITUAIS: 1 Coríntios 12.7-11
7-  Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil.
8- Porque a um, pelo Espírito, é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência;
9- E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar;
10- E a outro, a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro, o dom de discernir os espíritos; e a outro  a variedade de línguas; e a outro, a interpretação das línguas.
11- Mas um só e o mesmo Espírito opera todas essas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.


 2 – OS DONS ESPIRITUAIS  
          
           Os dons espirituais não são distribuídos pela igreja, mas pelo Espírito Santo, conforme sua vontade e seus propósitos soberanos (1Corítios 12.11). O apóstolo Paulo usou quatro verbos-chaves que ilustram a soberania de Deus na distribuição dos dons espirituais.
           O Espírito Santo distribui (1Coríntios 12.11) Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.                                                                                                                         
           Deus dispõe (1Coríntios 12.18), Mas agora Deus colocou os membros no    corpo, cada um deles como quis.
          Deus coordena (1Coríntios 12.24) Porque os que em nós são mais nobres não têm necessidade disso, mas Deus assim formou o corpo, dando muito mais honra ao que tinha falta dela,
            E Deus estabelece (1Coríntios 12.28).  E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro doutores, depois milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas.
            Do começo ao fim Deus está no controle. É Deus quem estabelece o corpo e quem coloca cada membro do corpo e distribui cada dom a cada pessoa conforme o seu propósito e soberana vontade. Do começo ao fim Deus está no controle.
             É isso que Paulo ensina à igreja. O propósito dos dons, portanto, não é para a exaltação de quem o exerce, mas para o serviço aos demais membros do corpo e tudo para a glória de Deus.
Dons Espirituais: O Dom da Fé (1 Coríntios 12:9)
          "Esta é uma arma que vence o mundo: a nossa fé" (1João 5.4) Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa FÉ.
                              [...] a outro, no mesmo Espírito, a fé;" 1 Coríntios 12:9.
          A fé também é um dom, e precisa ser concedida por Deus. Entretanto, apesar da fé ser um dom concedido por Deus, de certa forma é um dom que também pode ser adquirido, conforme veremos abaixo. Além disso a fé é base para outros dons, pois sem a fé seria impossível ter outros dons como, por exemplo, o dom de curar.
                    A primeira coisa que devemos entender é, o que é, afinal, esta fé. Hoje muita gente usa essa palavra para muitos fins, mas o objetivo real dessa palavra pode ser encontrado na bíblia no livro de Hebreus capítulo 11:1: “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem”. De acordo com esse versículo a fé é a base firme das coisas que esperamos e das coisas que não vemos. A fé, portanto, atua em duas frentes: as coisas que esperamos e as coisas que não vemos.
                    A guerra espiritual é um bom exemplo das coisas que não vemos. A realidade espiritual é muito viva e atuante mesmo que nós não consigamos vê-la com nossos olhos. Por outro lado as coisas que esperamos não necessariamente são as coisas que não vemos. No nosso dia-a-dia a fé deve ser atuante em muitas frentes. Mesmo porque se nos dedicamos a viver, com integridade a vida cristã, então passaremos momentos difíceis. E é aí que a fé entra para nos sanar todas as coisas. Na verdade a fé bíblica do passado vislumbrou, em grande medida, as coisas que se esperam como foi com Abraão. Ele creu contra sua própria sorte, pois sendo velho e estéril, não podia ter filhos. Mas independente da sua realidade ele creu nas palavras de Deus, o qual prometera que ele seria pai de muitas nações. Portanto ele é chamado de "Pai da fé".
                   Isso nos mostra que, apesar da fé ser espiritual e tratar das coisas que não vemos, ela também é totalmente atuante em nossas vidas práticas. Mas não para nos conceder aquilo que queremos. Pelo contrário, A fé se baseia na vontade e direção de Deus para nossa vida. Veja que foi Deus quem determinou que Abraão seria pai de muitas nações e não Abraão que, pelo muito orar, recebeu isso do Senhor. Devemos buscar entender qual seja a vontade de Deus para nossa vida.
Como adquirir a Fé?
         Mas entender o conceito de fé, que não é dos mais complicados de se entender, não é o centro da questão. Na verdade o grande desafio da fé é adquiri-la. Como podemos ter fé?
         Antes de mais nada temos que entender que a fé é dom de Deus. Se não temos o Senhor Jesus certamente não teremos nenhuma fé. Como Paulo nos mostra na carta de Romanos no capítulo 10:17: “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”. Assim entendemos que a fé é um dom gerado pelo ouvir da palavra de Deus, que opera em nosso interior poderosamente a tal ponto de gerar fé nesse processo. Não se trata de uma receita de bolo, mas de uma realidade de vida com o Senhor. Se ouvirmos Dele a Sua palavra, certamente seremos homens cheios de fé e de intrepidez.
          Quanto mais crermos em nosso Senhor Jesus, e na palavra daquele que enche tudo em todas as coisas, mais seremos cheios de fé. João 17 nos diz que a palavra é a VERDADE.  Como devemos crer na palavra de Deus como a VERDADE! Como podemos ser cheios de fé se não cremos nas escrituras? Se a palavra nos diz: “E estes sinais seguirão aos que crerem” (Marcos 16:17a), e na prática não me seguirem, o que está faltando? A resposta é Fé. Se eu não creio que os sinais podem me seguir, como eles poderão? Mas se eu tomo essa palavra como uma realidade, ainda que invisível em minha vida, aí sim, pelo poder do Espírito Santo, ela se tornará uma realidade prática e logo os sinais te seguirão. Não há dúvida quanto a isso. A realidade da fé é mais real do que o ar que nós respiramos.
           O grande problema, nesse sentido, é que a palavra hoje em dia não é tomada dessa forma. Pelo contrário! A palavra se tornou objeto de estudo e discussão. Cada denominação possui o seu próprio dogma e crença em detrimento de outras. As palavras são analisadas e discutidas como qualquer texto.  A palavra precisa ser vivida e não discutida ou analisada. Se a palavra me diz: “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo” (Salmo 23:4), e a minha reação é racionalizar o que está escrito, isso nada mais é do que uma religião morta em si mesma. Mas se a palavra viva e eficaz gera em mim essa fé prática, então eu passarei pelo vale da sombra da morte e realmente não temerei coisa alguma! Nem mesmo a morte, caso fosse apresentada diante de mim. Porque a palavra de Deus é viva, eficaz e poderosa para nos livrar, se necessário, até desse vale tenebroso. Por isso não temerei mal algum contra mim.
           Essa realidade viva da palavra lança por terra muitos problemas cristãos. Se cremos, de fato, na palavra, não teremos problema com o pecado, pois foi Jesus quem morreu por nós. O Cordeiro Santo de Deus que veio ao mundo e que deu a sua vida para redimir o nosso pecado de modo algum morreu em vão. Eu creio  na obra de Cristo na cruz, portanto meu pecado foi, de uma vez por todas, tratado e perdoado.
            Igualmente, nós devemos crer no poder e na autoridade outorgada por Deus a Igreja. O corpo santo do Senhor não sabe o poder que detém. Se soubéssemos do que a Igreja é capaz, certamente o mundo seria um lugar diferente. Voltemos a palavra de Lucas: “E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão” (Marcos 16:17-18). Essa palavra fala exatamente do que a Igreja é capaz. Uma vez que somos cheios do Espírito Santo os sinais nos seguirão naturalmente. E nós devemos crer que a Igreja é capaz de realizar todas essas coisas e muitas mais. A Igreja foi colocada por Deus como Sua representação nessa Terra. Como nós estamos aquém dessa responsabilidade! Nós devemos mudar essa realidade, crendo naquilo que Deus nos deu. Os sinais só seguirão aqueles que crerem. Então creia! Não como regra, mas como realidade e vida prática.
           A prática, aliás, é grande sinal da fé e ambas andam juntas. Tiago 2:17 nos diz que “a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma”. A fé naturalmente resultará uma realidade em sua vida. Deus não gera fé em nossos corações por seu bel prazer ou apenas para que o homem desfrute dessa fé. Uma frase que demonstra isso pode ser encontrada em Efésios 1:19: “(...) segundo a operação da força do seu poder (...)”. Essa é uma frase dentro de um contexto específico, mas aqui eu apenas gostaria de salientar uma realidade, que é o poder excelso de um Deus operante. O poder de Deus não se esconde por trás das nuvens do céu, mas ele opera com poder através da Igreja, o corpo majestoso de Cristo.
             A fé é um dom basilar para todos os outros dons e para a vida cristã propriamente dita. Sem fé não poderíamos desenvolver outros dons como o dom de curar ou o dom de operação de  milagres.
            O dom da fé é diferente da fé tratada na bíblia? E qual seria a diferença entre a fé da vida cristã para este dom?
            A verdade é que, independente da operação que a fé produz, seja ela aplicada a minha vida com Deus ou ao dom que gera um fruto prático, ela é uma só conforme nos ensina a palavra de Efésios 4:5: "há um só Senhor, uma só fé, um só batismo".

3 - O FIRME FUNDAMENTO
    “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem” Hebreus 11:1.
            O dom da fé pode parecer um tanto quanto pequeno quando tratamos de dons tão significativos como o dom de Operação de Milagres ou de Curar. Entretanto devemos entender que sem fé nada poderíamos fazer. Conforme cita o texto de Hebreus, a fé é o firme fundamento. Quando falamos acerca do Dom da Fé, também podemos dizer que este dom é um dom fundamental.
             Sem a fé seria impossível fazer qualquer coisa, a começar na intimidade com o Senhor. Deus não se agrada e não tem comunhão com pessoas que não creem que ele existe,  (Hebreus 11:6).  Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam
Se desejamos ter comunhão e intimidade com Deus, necessariamente precisamos de fé.
            Igualmente, quando falamos do Dom da Fé, tudo que podemos fazer seja por palavra ou por obra precisa da nossa fé. Mesmo os outros dons, se não forem regados de uma boa dose de fé, não serão bem sucedidos. A fé é, de fato, o firme fundamento quando falamos sobre os dons e da prática e serviço à Deus. Sem fé não conseguimos fazer coisa alguma.  "Como adquirir a fé" e veja como essa fé é produzida. Outra coisa é pedir a Deus e ter comunhão com Ele. Deus é galardoador daqueles que o buscam. Este galardão é o nosso prêmio eterno, mas certamente também são os dons maravilhosos que podemos desfrutar ainda em nossos dias.

4 - OBJETIVOS PRÁTICOS
       "E Estêvão, cheio de fé e de poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo" Atos 6:8.
         O objetivo prático do Dom da Fé, conforme lemos no texto acima, é atuar juntamente com os outros dons. A fé, quando se junta a outros dons, é poderosa para realizar grandes coisas. Aqueles irmãos que possuem o dom da Operação de Milagres ou o Dom de Curar, se não tiverem fé, como poderão colocar em prática o seu dom?


CONCLUSÃO

"E Jesus disse -lhe: Se tu podes crer; tudo é possível ao que crê" Marcos 9:23.
           O Dom da Fé é maravilhoso! Ele retira todos os limites que conhecemos e nos permite realizar muitas coisas através do mover maravilhoso do Espírito Santo. Neste texto de Marcos Jesus diz que "Tudo é possível ao que crê".
          Aqueles que possuem este dom farão coisas inimagináveis. Maravilhas e grandes sinais para comprovar todas as promessas que ouvimos na palavra de Deus. Glória a Deus.



BIBLIOGRAFIA

www.blogcomcristo.com/2014/09/dons-espirituais-fe-1-corintios-129.html
BÍBLIA DE ESTUDO PENTECOSTAL

-- Versão Almeida Revista e Corrigida

Trabalho feito por Maria de Fátima Santos Pereira - bacharelando em Teologia

Nenhum comentário:

Postar um comentário