JESUS CRISTO, O FILHO DE DEUS

Em toda nossa caminhada devemos ter sempre Cristo como nosso guia. Ele nos guarda a cada dia. "Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois a ele eternamente. Amém." Sejam bem vindos ao nosso blog em o nome do Senhor Jesus !!! Disse Jesus: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve. Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. Amo ao Senhor Jesus Cristo, porque Ele me amou primeiro e trouxe-me para a sua maravilhosa presença. Deus é tremendo !!!

quarta-feira, 12 de julho de 2017

PAPIRO

O papiro ou junco egípcio tem hastes suaves de três lados que normalmente atingem uma altura de dois e meio a três metros (às vezes até cinco metros), e uma espessura de cinco a oito centímetros na base, com um grande feixe de ramos na extremidade.  Antigamente, o papiro crescia em grande abundância ao longo das margens do rio Nilo, quase formando uma selva densa.  As inflorescências pálidas e fulvas no topo das hastes eram usadas para adornar os templos egípcios e para coroar as estátuas dos deuses.  O papiro também era utilizado na confecção de pequenos recipientes e na fabricação de papel.
Significativamente, os manuscritos de papiro sobreviveram durante mais de 2.000 anos no Egito.  Várias cópias de livros da Bíblia escritos em papiro foram recuperadas.  Muitos deles datam dos séculos I, II ou III d.C., fornecendo as primeiras cópias do Novo Testamento.  Os estudiosos usam estas cópias para fazer as edições do Novo Testamento em grego, que são então traduzidas.  Da próxima vez que você pegar uma Bíblia em seu idioma moderno, seja grato por todos os manuscritos de papiro que foram descobertos.

Fonte:  Bíblia de estudo cronológica aplicação pessoal

A ORÍGEM DO UNIVERSO

A Bíblia não discute o tema da evolução, mas sua perspectiva pressupõe que Deus criou o mundo.  A visão bíblica da criação não está em conflito com a ciência, mas em conflito com qualquer teoria que comece sem um criador.
Os cristãos comprometidos e sinceros tiveram dificuldades como tema dos começos, e chegaram a diferentes conclusões.  Isto era de se esperar, porque a evidência é muito antiga, e está bastante fragmentada, devido aos estragos promovidos pelos anos.  É preciso evitar polarizações e teorias extremas.  Aqueles que estudam a Bíblia devem tomar cuidado para não entender que a Bíblia diz o que ela não diz, e os que estudam a ciência não devem entender que a ciência diz o que ela não diz.
O aspecto mais importante, na contínua discussão, não é o processo da criação, mas a orígem da criação.  O mundo não é um produto do acaso cego e da probabilidade.  Deus o criou.
A Bíblia não apenas nos diz que o mundo fou criado por Deus, mas, o que é ainda mais importante, nos diz quem é esse Deus.  Ela revela a personalidade de Deus, seu caráter, e seu plano para sua criação.  Ela também revela o desejo mais profundo de Deus - o de se relacionar com as pessoas que criou, e ter comunhão com elas.  Deus deu o passo decisivo em direção à comunhão, na sua histórica visita a este planeta, na pessoa do seu Filho, Jesus Cristo.  Podemos conhecer, de uma maneira muito pessoal, esse Deus que criou o universo.
O livro de Gênesis começa com "criou Deus os céus e a terra".  Os céus e a terra estão aqui.  Nós estamos aqui.  Deus criou tudo o que vemos e vivenciamos.  Aqui, começamos a mais emocionante e satisfatória jornada imaginável.

Fonte:  Bíblia de estudo cronológica aplicação pessoal  -  Almeida Revista e Corrigida